A minha inóspita filosofia

– Como você sabia que eu precisava tanto de um ato de carinho?

– Eu sei das coisas que eu preciso e não recebo. E isso não significa que eu não possa oferecer. A humanidade é egoísta e contraditória, raramente se satisfazem presenteando, ouvindo, apoiando. Geralmente cobram isso das outras pessoas, remoem, acusam e odeiam. Faz parte do DNA, não há o que possa ser feito para mudar isso.

As anomalias são os que se preocupam, sacrificam e sofrem de diversas maneiras, culpam a si mesmos e morrem como covardes por não aguentarem a pressão constante de existir.

Há segundos de alívio que surgem quando os poucos dispostos a oferecer o que um outro precisa, sem esperar nada em troca, respiram oxigênio puro, prêmio por abnegação e incapacidade de pagar com a mesma moeda.

E o mundo segue, perigoso e astuto com os seus pupilos, distribuindo as máscaras que aceitam utilizar, representando coisas que não conhecem, defendendo ideias que jamais maquinaram, lutando por ideais os quais jamais forjaram.

Eu faço essas coisas por mim mesmo, para me beneficiar com um quinto do seu bem-estar, um milímetro de sua felicidade, um segundo do seu sorriso, um pouco de calor do seu coração. Coisas que você nem ninguém dividiriam conscientemente em momento algum. Eis a filosofia da vida.

Marcelo Gomes Melo 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s